Sinopse

Este segundo volume de Sra. Fragrância Primaveril foi pensado pela autora como um adendo de contos destinados aos chamados "celestiais" ou seja, as crianças chinesas. Em contraste com os contos adultos, estes têm como pilares crianças protagonistas e temas infantis. A moral e a ética chinesas se apresentam já na tenra idade, seja pelo exemplo dos mais velhos, seja pela inocência e honestidade dos pequenos.
De todo modo, as questões temáticas mais profundas da obra de Sui Sin Far continuam a ser abordadas: o preconceito para com os imigrantes, as mazelas sociais que um mestiço precisa enfrentar, o machismo, o respeito às tradições, a adaptação a um país completamente diferente, a preservação dos costumes por meio da vida em uma comunidade quase fechada, as Chinatowns. Como preservar sua cultura original e ao mesmo tempo se integrar a uma nova sociedade? É possível a uma criança chinesa nascida na América abraçar duas realidades tão diferentes: dentro e fora de casa?
Edith Maude Eaton (1867-1914) foi uma das precursoras do multiculturalismo com sua obra Sra. Fragrância Primaveril, sob o pseudônimo de Sui Sin Far. Ela mesma era filha de pai americano e mãe chinesa, é considerada a primeira descendente a escrever sobre a condição sociocultural dos imigrantes chineses na América. Nessa coleção de contos publicados originalmente em dezenas de revistas e compilados em 1912, Sui Sin Far analisa de maneira delicada e real as mazelas da convergência de dois povos tão diferentes na região da Califórnia.
Título original: Mrs. Spring Fragrance (1912)